. EXCESSO DE PRODUÇÃO EM DEZEMBRO ESTICA CARNAVAL Valor Econômico 09/02/2017

Os fabricantes de veículos começam a sinalizar que aceleraram o ritmo de produção em novembro e dezembro mais do que o necessário, na esperança de uma recuperação no ritmo de vendas, que não se confirmou. A Ford anunciou ontem um período de férias coletivas e de folgas que paralisará a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) durante 26 dias logo após o Carnaval. A decisão da Ford se junta às de General Motors e Volkswagen, que, segundo os sindicatos dos trabalhadores, também vão dar folga extra em dias próximos ao Carnaval.
As montadoras evitam o assunto. Mas fornecedores já percebem um freio no ritmo das encomendas. “Falam que as coisas começaram a melhorar, mas quando perguntamos sobre novos pedidos nos pedem para esperar o mercado reagir”, afirma o executivo de uma grande empresa de autopeças que prefere não se identificar.A programação das encomendas da indústria automobilística para os próximos dois meses indica que a média de produção diária deverá ser muito parecida com à dos meses que antecederam o último bimestre, quando o setor decidiu acelerar o ritmo. Só em novembro, a produção de veículos aumentou 21,8% na comparação com o mesmo mês de 2015.
Nas contas de um fornecedor, a julgar pelas encomendas programadas para o semestre, 2017 terminará parecido com 2016. A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) prevê aumento de 4% no mercado interno este ano.Em janeiro, o licenciamento de 147,2 mil veículos representou uma retração de 5,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado. O resultado “frustrou” os fabricantes, segundo o presidente da Anfavea, Antonio Megale.Logo que perceberam que a demanda não havia reagido, as montadoras começaram a programar paradas e aproveitar o Carnaval para esticar a folga dos empregados. A Volks vai aproveitar o novo formato do Programa de Proteção ao Emprego (PPE), chamado agora de Programa de Seguro-Emprego (PSE), para reduzir o ritmo na fábrica de São Bernardo.
Ao invés trabalhar quatro dias por semana – modelo usado no PPE -, os operários vão descansar dias seguidos, de 22 de fevereiro a 5 de março.A General Motors programou um mês de parada na fábrica de São Caetano do Sul (SP), segundo informações do sindicato local, não comentadas pela empresa. Na semana passada, a empresa anunciou aos trabalhadores da produção de São José dos Campos, no interior de São Paulo, que a folga este ano começará antes do Carnaval (no dia 22 de fevereiro) e só vai acabar cinco dias depois da quarta-feira de cinzas. No período eles estarão em férias coletivas.Não se pode dizer que os metalúrgicos das montadoras estão felizes com a possibilidade de esticar a temporada dos dias de Momo. Difícil pensar em folia quando nem todos têm a perspectiva de continuar com emprego. Na GM, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, a empresa prorrogou por mais quatro meses o “layoff” (suspensão temporária) de 754 trabalhadores que deveriam retomar o trabalho esta semana. Eles estão afastados há mais de dois anos.

Share:

Deixe uma resposta